trabalhosujo
Porque alguém tem de fazê-lo...
 

Putz

Alexandre Matias (January 27, 2004 11:23 AM)

Quer dizer, PUTZ.


***
Diga

Mário Marques, esse nunca me decepciona. Daniella Thompson, eu te amo.

arnaldo

Olha, Arnaldo, vc devia tomar cuidado com a concorrência. Isso é engraçado demais. :)

Bárbara

Pô Bárbara, não fala assim do trabalho do cara, afinal ele está em destaque na home do site www.nomesdojornalismo.kit.net. Assim o MM vai ficar HUNGRY com você.

arnaldo

Já pensou se o pai dele lê o que eu disse?

Bárbara

Ele tem mais de 15 anos de experiência na ÁREA. Respeitem-no.

Carlos

Vamos ver as próximas atrações.

Delfin

PUTZ GRILA

fz

pior eh que da primeira vez eu li rapido e achei que o mario marques tivesse brigado com a filha do ziraldo: a daniela thomas, hehehe.
mas a melhor parte eh:
- nao sabia que voce existia
- nao sabia que existe google?

Vlad-

HAHAHH! Matias, essa história é simplesmente inacreditável!!!! Fico imaginando o cara se explicando pro "papai" dele... heheheheh!!!!!

tchuna

O mais legal é que o grande site http://www.nomesdojornalismo.kit.net/ , além de ser de graça (kit.net), é só sobre ele!!! Sensacional ahahaha.

Elson

que filho da puta. mas de repente outro nome me bate à cabeça tbém.... ahhahahaha

palugas


Alguém avisa o Rodney, quem sabe não rola uma entrevista, huhauhauhauhahahaha! Rodneeeeeeeeeey, vc não sabe da última! =))))

Gilberto


Caracas,

Mais triste (ou hilário...) que o caso em si é constatar a tamanha capacidade de argumentação, o raciocínio claro, consistente e coerente, demonstrado por este grande jornalista brasileiro... Sobretudo num inglês tão fino...

Ah, mas esses gringos são muito petulantes mesmo...

Drex

Nossa, é ÓTIMO ver as máscaras caindo!!!

Flavia

Muito bom a Daniella Thompson ter trazido a coisa à público. Não sei o que é mais lamentável, se a canalhice patética do sujeito ou seu absoluto analfabetismo em inglês. E isso escreve sobre música na dita "grande imprensa". Estamos, como sempre, bem arranjados.

Ruy

PS: www.nomesdojornalismo.kit.net é um trabalho de uma estagiária de jornalismo

A case of inconsideration

The "journalist" Daniela Thompson, who claims to be the author of Brazilian
composer Guinga's discography, will be sued for moral rights infringement by
journalist Mario Marques

Daniela Thompson is a mediocre journalist, who earns a living by
reproducing, copying and transcribing articles published in Brazil as if
they were hers. With no academic qualification as a journalist and, for that
matter, working ilegally in the position in the United States, she mantains
a weblog dedicated to latin and brazilian music, republishing discographies
obtained at lists in Brazil.

That's how the "journalist", in an inconsiderate act, published on the
Internet sections of the conversations between her and journalist Mario
Marques, author of the book "Guinga - os mais belos acordes do subúrbio". In
the conversations, Marques, a renowned journalist who worked at the
newspaper "O Globo" as a music critic for Segundo Caderno for eight years
and edited the magazine "Clava do Som" for five years, explains to the
"journalist" that Gryphus publising forgot to credit Guinga's discography in
his book, which she publically claims to be hers, as well as several credits
to photographers that weren't printed in the book by mistake. He didn't even
complain about her copying the composer's list, published in Brazil.

Nervous and hysterical, since she's known as a troubled person in the
artistic circle, Mrs. Thompson, acused the journalist of plagiarism, being
herself the plagiarist of the listing. Announcing in the Internet she was
the author of several dicographies, the "journalist" will have a suit filed
against her by Marques since the author, through an e-mail he sent to Mrs.
Thompson, told her that the mistake made by the publishers would be fixed,
which didn't stop Mrs. Thompson from keeping on offending him.

Trying to promote herself, the "journalist" insisted on provoking Marques by
sending him offensive e-mails, which were all replied. The decision of
publishing the e-mails on the Internet shows the lack of character of the
fake journalist. By exposing Marques, the plagiarist spread the story as if
the work of translating and transcribing texts and discographies was
something that belonged to her. The composer Guinga said in interviews that
his discographies belonged to him, not to any journalist, and described
Daniela Thompson's behaviour as "terribly low".

Um caso de leviandade

A "jornalista" Daniela Thompson, que se diz autora da discografia de Guinga,
será processada por danos morais pelo jornalista Mario Marques

Daniela Thompson é uma medíocre jornalista, que sobrevive às custas de
reproduzir, copiar e transcrever artigos publicados no Brasil, como se
fossem dela. Sem formação como jornalista, e assim trabalhando ilegalmente
na área nos Estados Unidos, ela mantém um blog dedicado à música brasileira
e latina, republicando discografias obtidas em listagens no Brasil e
apropriando-se delas.

Foi assim que a "jornalista", num ato de leviandade, publicou na internet
trechos de diálogos entre ela e o jornalista Mario Marques, autor do livro
"Guinga - os mais belos acordes do subúrbio". Na correspondência entre os
dois, Marques, conceituado jornalista que já passou pelo jornal "O Globo"
como crítico de música do Segundo Caderno durante oito e editou por mais
cinco a revista "Clava do Som", explica à "jornalista" que a editora Gryphus
esquecera de dar o crédito à discografia de Guinga no livro dele, que ela
assina publicamente como sendo dela, assim como vários créditos de
fotógrafos que não saíram também por erro da companhia. Isso sem ele nem
discutir o fato de ela ter copiado a listagem da editora do compositor no
Brasil.

Nervosa e histérica, já que é tida como uma pessoa desequilibrada no meio
artístico, a sra. Thompson acusou o jornalista de plágio, sendo ela mesmo a
plagiadora da listagem. Anunciando na internet ser autora de diversas
discografias, a "jornalista" será processada por Marques por danos morais,
já que o autor, em e-mail enviado à sra Thompson, avisou-a que o erro de sua
editora seria consertado, para evitar maiores aborrecimentos, o que não
impediu que a sra continuasse a ofensiva.

Tentando, porém, auto-promover-se, a "jornalista" insistiu nas cobranças,
provocando o jornalista com e-mails ofensivos, todos respondidos. A decisão
de publicar a troca de e-mails na internet, além de mostrar o péssimo
caráter da jornalista, expôs o profissional, enquanto a "jornalista", essa
sim, uma plagiadora de textos, espalhou a história como se seu trabalho, ou
seja, traduzir e transcrever textos e discografias, fosse algo de sua
propriedade. O próprio Guinga, em entrevistas, disse que sua disco grafia
pertence a ele mesmo, não a nenhum jornalista. O compositor considerou a
atitude da jornalista Daniela Thompson de "péssimo nível".


Lab Pop

Pra começar:

"Lab PoP" = Mario Marques, né? Não precisa ser gênio...

Se foi uma estágiaria q escreveu aquele site, entao ele devia estar comendo, pq só citou um dos "grandes nomes" do jronalismo.

Ela devia estar falando dos grandes nomes do jornalismo que citam os jabás que ganharam em suas próprias autobiografias...

Mas como é possível notar a presença do nome da autora da troca de correspondências com o "book's author" nas palavras-chave do source da hp, é bem provável que tenha sido o próprio Lab PoP que inventou isso.

Mas o pior é que o cara está se defendendo das acusações de plagiarismo, quando devia estar se desculpando por ter sido arrogante, estúpido e presunçoso - como boa parte da imprensa brasileira.

Não sei como é que ninguém levou o caso até esses sites de comunicação, tipo Meio e mensagem ou Observatório da Imprensa.

Sem contar o inglês primário: um cara que escreve desse jeito, não deve nem entender o que as pessoas falam do outro lado do telefone, se falarem em inglês. Imagina as entrevistas...

E é verdade que o pai dele é o prefeito de Nova Iguaçu - e que ele é um mero Júnior?

LV

"Mas o pior é que o cara está se defendendo das acusações de plagiarismo, quando devia estar se desculpando por ter sido arrogante, estúpido e presunçoso - como boa parte da imprensa brasileira."

é, o direito à defesa foi definitivamente banido da sociedade, ao menos nesse caso do Mario Marques.

Não sei o que é pior, o caso propriamente dito ou as reações que ele despertou.

Tanta picaretagem jornalistica acontece por aí e ninguém fala nada, só porque quem os pratica é amigo do amigo do amigo de não sei quem lá e não fala mal de determinado estilo musical ou banda.

ou ninguém vai dizer que a história só está tomando a proporção que tomou pelo fato do Mario falar mal de certas bandas.

porra, do petillo ninguém fala mais, porque? e o cara fez sacanagem bem mais grave.

No caso do Mario, o que está bem claro é que houve uma falha, a meu ver da editora, ele tentou consertar as coisas, mas a mulher continuou estressada. daí, ele chutou o balde.

Quanto ao Hungry, ora, quem nunca cometeu erros de inglês até em provas do colegial que atire a primeira pedra.

Yannick

Concordo em partes com muita coisa que o Yannick escreveu - que a perseguição é pessoal porque ele fala mal de bandas legais, que muita gente faz coisa pior e não recebeu a devida esculhambação, que zoar o "hungry" é sacanagem e até elitismo, e que, analisando friamente, foi ela que começou a picuinha.

SÓ QUE ele mandou mal pra caralho. Podia ter saído "por cima", daquela maneira professional esperada por um jornalista de renome e 15 anos de experiência. Uma ou duas ironias bem-colocadas e provavelmente eu o teria aplaudido. Mas as respostas do tipo "parei de falar com você porque você é estúpida" (15 anos de experiência ou de idade?), "você é tão idiota", "oh minha senhora, quem é você, você não é nada", falar que ela foi internada várias vezes em instituições mentais, e principalmente esse site nomesdojornalismo.com.br, resultam numa reação ABSURDAMENTE tosca.

Mandou mal pra caralho.

Em tempo: essa página no site dela tem coisas novas, inclusive reações e comentários de blogs aqui do Brasil. E esse texto "A Case of Inconsideration" aí de cima está bem editado - o completo, que inclui o "ela foi internada", está no site dela.

Elson